Info

Iniciações ou sintonizações à distância em Reiki

Joseph Running Wolf Sparti, fundador da Global Reiki Masters Association foi um dos pioneiros das sintonizações à distância (sintonização singular) e oferece este tipo de sintonizações várias vezes por ano. Hoje em dia, milhares de pessoas fazem sintonizações à distância. Consideramos que é uma forma de ajudar a espalhar o Reiki pelo mundo.
As sintonizações com as frequências vibracionais de determinados e variados graus /níveis de Reiki podem ser feitas à distância. Um tipo de sintonização particularmente polêmico para a maioria dos mestres em reiki, os “puristas” agregados às mais diversas “associações”, “academias” e “sindicatos”, que pretendendo fazer uma reserva de mercado, polemizam em cima do assunto, gritando por preceitos, linhagens “puras”, “respeito à tradição”, etc. Todo e qualquer Reikiano cadastrado nessas associações ou sindicatos, deve ter em mente que jamais terão apoio jurídico de espécie alguma, caso seu trabalho como terapeuta Reikiano, por exemplo, seja de alguma forma processado como uma espécie de charlatanismo.
Deve-se também saber aos reikianos que a lei brasileira, no art. 5º XVII e XVIII da CF/88, assegura o direito da criação de associações e, na forma da lei, a de cooperativas, sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento. Trocando em miúdos, qualquer pessoa pode fundar uma “academia de reiki” ou uma “associação de reiki”, para expedir afiliações e carteiras de registro.
Associações como essas, servem apenas para o reikiano ter um “registro” e uma “carteira de terapeuta” e ser incluso como um “representante legítimo” da linhagem reikiana desde seu fundador, Mikao Usui. Servem também, à socapa, para indicar “seus mestres” como “verdadeiros mestres” do Sistema Usui de Cura Natural. De alguma forma que me escapa, querem a todo custo, trazer para si, o “purismo” do reiki, como se somente a eles pertencessem essa energia cósmica.
Li uma frase que dizia assim, dentro da ferocidade purgada dos seus puristas: “Não existe um reikiano que não tenha recebido o toque físico de seu Mestre Iniciador. Assim foi, é e sempre será”. Não consigo imaginar estofo suficiente à comicidade necessária a uma afirmação dessas. Quem iniciou Mikao Usui? Ele foi “tocado” por quem?
Ora, o Reiki não foi descoberto nem redescoberto e sim elaborado ou criado tendo como base o budismo, o xintoismo, o Qigong entre outras variantes.
Mikao Usui era budista e xintoísta e já tinha conhecimento prévio dos símbolos que colocou em seu sistema de nome Shin Shin Kayzen Usui Reiki Ryoho, hoje simplesmente chamado de Usui Reiki Ryoho. Assim sendo, alguém passou para ele os conhecimentos.
Para receber seu Anjin Ryumei (satori), Usui precisou ficar anos em um mosteiro fazendo trabalhos considerados humilhantes pelo ego humano, estudar muito e passar por um processo que levou 21 dias de jejum e meditação com o objetivo de receber essa iluminação parcial através do processo de morte. Felizmente ele não morreu e teve seu Anjin Ryumei. Segundo a tradição budista, o objetivo disso é o ensino. De nada adianta guardar para si os insights que se recebe nestes processos e assim ele o fez.
No sistema de reiki de Mikao Usui, é necessário que um mestre te inicie, ou seja, é necessário que um mestre/professor te reconecte à sua frequência original,como uma antena que está fora de sintonia e precisa ser acertada e assim seu “poder” de cura inato é despertado novamente e isso pode ser feito à distância. Devemos considerar que o neófito, quando da sua Iniciação como reikiano, só estará recobrando aquilo que já lhe era intrínseco e apenas estará sendo despertado para algo que já existia dentro de si.
Os que têm usado este método de sintonização à distância sabem que é uma extensão lógica do uso do símbolo de ligação à distância e que a sintonização é tão poderosa e efetiva como se a pessoa estivesse presente. A experiência de anos e muitos mestres também fazendo isso, em conjunto com associações que se unem para garantir que pessoas que não possam pagar por iniciações caríssimas, lugares onde não tem mestres presentes nas suas cidades, dificuldades de locomoção, entre outras, nos mostram que as iniciações / sintonizações realizadas à distância tem o seu verdadeiro mérito.
Quem recebe estas sintonizações, confirma tratar-se de uma experiência maravilhosa e a maioria, sente tudo como se o professor estivesse presente. É especialmente gratificante, como já dito, para quem não tem um professor próximo de si e têm dificuldades de deslocação ou mesmo, para um professor que quer partilhar o reiki com uma pessoa amada, um amigo, um familiar e a quem a distância impede de realizar a sua intenção.
A sintonização à distância é possível graças à utilização do Hon Sha Ze Sho Nen, contudo, este é um tema frequentemente polêmico: existem os que não acreditam neste método, pois não faz parte do sistema original de Usui, portanto, não é considerada como uma prática tradicional e consequentemente não é reiki.
Outros opinam que a sintonização até pode resultar, mas nunca atinge os níveis energéticos e vibracionais de uma sintonização presencial. Afirmam que “parece faltar qualquer coisa”. Como essas pessoas que defendem a unhas e dentes a “pureza” dos ensinamentos, assim como defendem furiosamente a iniciação / sintonização presencial, determinam se a sintonização resulta muito, pouco ou nada, também não é conhecido. Talvez possuam alguma máquina especial, alguma forma secreta de medir a intensidade da energia, mas pelo que se sabe esta forma também não faz parte do sistema Usui, logo, também não é Reiki, destarte segundo as suas perspectivas também não é válida: estamos perante um paradoxo ou somente um jogo de interesses?
O que nos parece importante é que as sintonizações à distância – segundo a prática – é uma realidade. E não se pode negar ou esconder que o processo funciona sem problemas anexados, formando reikianos maravilhosos.
Se nós sabemos que com a intenção, entregamos o processo à Fonte da Força Universal da Vida, então devemos confiar que essa mesma Fonte, assegurará que tudo se passe exatamente como deve ser, seja nos tratamentos à distância, seja nas sintonizações à distância – e os fatos não deixam lugar a dúvidas: milhares de praticantes e professores de reiki têm sido sintonizados à distância, com eficácia.
A intenção do professor em dar e a intenção do iniciado em receber, são suficientes para que a sintonização à distância funcione eficazmente. Para mais, se estão a dizer que o envio da energia só funciona na cura à distância e não nas sintonizações, não será que também estamos a limitar a ação da Fonte do Reiki?
O que se pode realmente afirmar que falta numa sintonização à distância, apenas isso, é o ambiente de amor, de paz, de harmonia que se cimenta durante dias de curso entre diversas pessoas, onde há partilha de experiências, compartilhamentos de sentimentos (que muitas vezes permanecem bloqueados durante anos), partilha de ternura e onde se criam amizades puras, muitas delas para a vida toda.
É também bom participar nas meditações guiadas e na partilha das sensações das sintonizações, porém nenhum destes fatores impede que uma pessoa seja bem sintonizada à distância e se torne um praticante de reiki como qualquer outro, iniciado presencialmente.
Por: Mestre Shihan Shankara.

Anúncios

Um comentário em “Iniciações ou sintonizações à distância em Reiki

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s